Socialland - Publicidade

Dermatologistas elencam os tipos de pele, características e como cuidar

Investir em produtos adequados para o tipo certo de pele é essencial para manter a derme bem cuidada. No entanto, como descobrir o tipo de pele? “Quando se fala em diagnóstico do tipo de pele a base é: equilíbrio entre a parte hídrica e oleosa”, esclarece a dermatologista da Clínica Vanità, Dra Vanessa França.  “Saber o tipo é primordial, pois cada pele tem suas necessidades individuais, e dessa forma, é possível indicar os melhores produtos”, afirma a também dermatologista da Vanità, Dra Camila Dornelas.

Abaixo as médicas ressaltam as características de cada tipo de pele:

Pele normal – Os poros são bem pouco evidentes. Existe um equilíbrio entre a quantidade de água e lipídios, e isso garante uma hidratação adequada. A pele tem uma textura brilhante e toque aveludado. Em pessoas com a pele normal o surgimento de rugas é mais evidente na região dos olhos

Pele seca – Pessoas com pele seca costumam ter baixa produção de lipídios, e dessa forma a pele fica seca e frágil. É comum ter sensação de repuxamento e desconforto. Pessoas com a pele seca têm maior tendência ao aparecimento de rugas.

Pele oleosa – Tem aparência engordurada provocada pela hiperatividade das glândulas sebáceas, que produzem mais sebo que o necessário. A pele apresenta poros dilatados e normalmente apresentam cravos e espinhas.

Pele mista – A pele apresenta poros bem dilatados na zona T (nariz e testa), tendo uma oleosidade mais intensa nesta área, podendo surgir cravos e espinhas. No entanto, na região da bochecha a pele é normal ou seca.

De acordo com as dermatologistas, a rotina de cuidados com o rosto deve ser igual, independente do tipo de pele. “Limpar e hidratar a pele são cuidados essenciais e devem ser feitos para qualquer tipo de pele. No entanto, a recomendação geral é que peles secas utilizem produtos com cremes e loções mais consistentes, peles oleosas evitem produtos mais densos, que são mais gordurosos, e peles mistas utilizem produtos mais intermediários, como gel-creme ou loção”, afirmam. Sobre o autodiagnostico e a compra de dermocosméticos por conta própria, elas são bem enfáticas: “O grande problema do autodiagnostico é o uso indevido dos produtos, e isso pode colaborar para um problema maior na pele. Se uma pessoa que tem pele oleosa escolher um produto muito hidratante, a pele pode ficar com muito brilho ocasionando até acne”, finalizam.

     

Link curto desta publicação: https://sland.site/2KDoFWP

Você também pode gostar

Dia Nacional do Controle da Asma alerta para os cuidados com a doença

No dia 21 de junho, é celebrado o Dia Nacional do Controle da Asma, data …

X