Dia Mundial do Rim terá orientações profissionais e exames gratuitos

Quinta-feira, 14 de março, é o Dia Mundial do Rim, evento anual criado pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) e a Federação Internacional de Fundações do Rim (IFKF), para conscientizar a população sobre a saúde dos rins. Em Curitiba, a Fundação Pró-Renal realizará no dia 14 (das 9h às 16h), na Boca Maldita, uma campanha de conscientização e orientações de saúde com nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros. No dia 15, no Sesc da Esquina (das 9h30 às 15h), acontece a Feira de Saúde, com orientação de equipe multiprofissional e médicos e exames preventivos, como glicemia, colesterol e urina. O atendimento será gratuito com senhas limitadas.

Neste ano, o Dia Mundial do Rim alerta para o crescente número de doenças renais em todo o mundo e ressalta a necessidade da prevenção. “As doenças renais são silenciosas. Os sintomas aparecem quando restam entre 20% e 25% da função renal. Muitos países não oferecem diálise e há uma grande preocupação da disparidade da doença no mundo”, explica o médico Miguel Carlos Riella, diretor da Fundação Pró-Renal.

Atualmente, mais de 10% da população mundial apresenta algum tipo de disfunção renal e os números para os próximos anos não são animadores. A previsão para a próxima década é o aumento em 17% nas doenças renais, que são um problema global de saúde pública. “As doenças renais vem aumentando em todo mundo, basicamente pelo aumento do diabetes, devido a obesidade, e também pelo aumento da hipertensão arterial”, afirma o médico. Os principais grupos de riscos são os hipertensos, diabéticos e obesos e também àqueles que têm histórico familiar de doença renal ou cardiovascular.

Prevenir ainda é o melhor remédio

De acordo com Riella, a melhor forma de evitar as doenças renais ainda é a prevenção. “É necessário saber se a pessoa está em algum grupo de risco como diabetes, hipertensão, obesidade ou doença cardiovascular”, diz. O médico também orienta que outras formas de evitar a doença são manter hábitos alimentares saudáveis, fazer exercícios físicos, hidratatar-se, controlar a pressão arterial e o diabetes, evitar o tabagismo e o uso de antinflamatório e fazer periodicamente exames preventivos.

Doença silenciosa e mortal

O rim é um dos órgãos mais esperado para transplante e um dos mais transplantados. Mais de 22 mil pessoas esperam por um órgão no país, segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO). Estima-se que 850 milhões de pessoas no mundo tenham doenças renais por várias causas. As Doenças Renais Crônicas (DRC) causam pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano e atualmente são a 6a causa de morte que mais cresce no mundo.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), em 2018 o número de pacientes com DRC, que fazem diálise (quando perde totalmente a filtração dos rins), registrou mais de 125 mil casos no Brasil. Até setembro, mais de 4 mil pessoas fizeram transplantes de rim no país e a hipertensão ainda é a primeira causa da DRC – atinge cerca de 30% da população, seguido do diabetes e o envelhecimento (após os 35 anos, o rim perde 1% por ano da capacidade de filtração dos rins).

Já a Insuficiência Renal Aguda (IRA), uma importante causadora da DRC, afeta mais de 13 milhões de pessoas em todo mundo, sendo 85% dos casos encontrados em países de média e baixa renda. Estima-se que cerca de 1,7 milhões de pessoas morram anualmente por causa da IRA.

Link curto desta publicação: https://sland.info/2TmfTW1
Mostrar mais

Publicações da mesma editoria e/ou vista no instagram